Roma como capital da Itália

Depois da decloração como capital da Itália, Roma se tornou uma das cidades mais importantes e visitadas do mundo.

O Papa não chegou a aceitar a unificação da Itália e se refugiou no Vaticano, dando lugar à chamada “questão romana”, disputa política que aconteceu desde 1861 até 1929 entre o governo italiano e o papado. Em 11 de fevereiro de 1929, o Papa Pio XI e Mussolini assinaram os Pactos Lateranenses que reconheciam o Estado do Vaticano.

Mussolini, aliado da Alemanha nazista, havia tomado Roma em 1922 e a havia declarado como Império. Para recuperar a antiga grandeza de Roma, restaurou seus principais monumentos e os transformou em centros da administração pública, fazendo com que a população da cidade passasse dos 212.000 habitantes que tinha durante a unificação a mais de um milhão. (Na época do Império chegou a ter mais de 2.000.000 de habitantes).

Durante a Segunda Guerra Mundial, Roma sofreu escassos bombardeios e quase não foi afetada. Nenhum dos lados do conflito quis atentar contra a vida do Papa Pio XII. Em 4 de junho de 1944, Roma foi tomada pelos Aliados.

Em 1946, mediante um referendo, se aboliu a monarquia e a República foi instaurada.

Os anos 1950 e 1960 são os anos da Dolce Vida para Roma. Nos anos 1980 chegou a alcançar os 2.800.00 habitantes.

Em 25 de março de 1957, Roma foi sede da assinatura do “Tratado de “Roma”, documento assinado por seis países e que estabeleceu o Tratado Constitutivo da Comunidade Econômica Europeia (CEE) e o Tratado Constitutivo da Comunidade Europeia da Energia Atômica (EURATOM), o que deu lugar ao nascimento da União Europeia.

Roma no século XXI 

Atualmente, Roma conta com um impressionante centro histórico que reflete seu passado. Caminhando pela cidade é possível encontrar ruínas da Roma Antiga, da Idade Média, palácios renascentistas, praças, fontes e igrejas barrocas e muitos exemplos de estilos artísticos do século XIX e XX.

Como capital da Itália, Roma tem a maior parte dos edifícios políticos do país. A população cresceu de forma exponencial e atualmente conta com cerca de 2,8 milhões de habitantes.