Museus Vaticanos

Museus Vaticanos

Com mais de 6 milhões de visitantes anuais, os Museus Vaticanos são uma das principais atrações turísticas de Roma. No seu interior há milhares de obras reunidas pela Igreja Católica Romana.

A origem deste museu remonta a 1503, ano em que o recém-nomeado Papa Júlio II doou sua coleção privada. Desde esse momento, tanto famílias particulares quanto outros papas foram aumentando a coleção dos museus até transformá-la em uma das maiores do mundo.

Atualmente os Museus Vaticanos recebem cerca de 6 milhões de visitantes anualmente, embora, sem dúvida, uma das razões para isso é que os Museus Vaticanos são a porta de entrada da Capela Sistina.

Que museus funcionam no interior?

  • Museu Pio – Clementino: Criado graças aos papas Clemente XIV e Pio VI, este museu reúne as obras gregas mais importantes do Vaticano.
  • Apartamento de Pio V: Obra do Papa Pio V, reúne tapetes flamencos dos séculos XV e XVI, uma coleção de cerâmicas medievais e outra de mosaicos medievais em miniatura. 
  • Galeria dos Candelabros: Estátuas romanas cópias de originais gregos e enormes candelabros do século II d.C: decoram esta elegante galeria. 
  • Museu Etnológico Missionário: Contém obras de arte de todas as missões pontifícias do mundo, das quais há objetos procedentes do Tibete, Indonésia, Índia, Extremo Oriente, África e América. 
  • Galeria de mapas cartográficos: Realizados entre os anos 1580 e 1585, os belos mapas afrescos sobre os muros desta galeria representam as regiões italianas e as posses da igreja. 
  • Museu Histórico - Pavilhão das Carruagens: Nesta área são exibidas carruagens, cadeiras de montar, automóveis e inclusive a primeira locomotora da Cidade do Vaticano
  • Galeria de Tapetes: Exposição de tapetes flamencos criados entre1523 e 1534. 
  • Museu Pio Cristiano: A coleção de antiguidades cristãs é composta por estátuas, sarcófagos e restos arqueológicos do século VI. 
  • Pinacoteca: Através das dezoito salas do edifício da pinacoteca são exibidas obras pictóricas desde a Idade Média até 1800. 
  • Sala Sobieski e da Imaculada: Em ambas as salas são exibidas telas procedentes do “Ottocento” italiano. 
  • Museu Egípcio: Entre as peças adquiridas pelos papas estão algumas impressionantes esculturas egípcias, além dos sarcófagos do século III a.C. Também podemos ver algumas estátuas de basalto negro (cópias dos modelos egípcios) procedentes da Villa Adriana
  • Museu Etrusco: Esta parte do museu abriga elementos de cerâmica, bronze e ouro pertencentes à civilização etrusca. 
  • Museu Chiaramonti: Criada graças a Pio VII Chiaramonti, esta galeria mostra mil esculturas, entre as quais estão retratos de imperadores, imagens dos deuses e alguns monumentos fúnebres. 
  • Museu Gregoriano Profano: Suas salas guardam esculturas gregas e romanas dos séculos I a III d.C.
  • Apartamento Borgia: Os apartamentos que pertenceram ao papa Alexandre VI Borgia servem hoje como salas de exposições para a Coleção de Arte Religiosa Moderna. 
  • Estâncias de Rafael: Rafael e seus discípulos decoraram com um bom gosto inigualável os aposentos do papa Júlio II. 
  • Sala da Biga: Uma monumental figura de mármore de uma carruagem puxada por dois cavalos feita do século II enche a sala e cede seu nome a ela. 

Se você quer saber mais sobre os museus, o melhor é consultar o site oficial: 

Evitando as filas

A fila para entrar nos Museus Vaticanos é provavelmente a mais cansativa de Roma. Para evita-la é recomendado não ir nos últimos domingos de cada mês (o dia gratuito) nem na Semana Santa. Também é recomendável evitar os fins de semana, principalmente em alta temporada.

Nossa experiência nos diz que a melhor hora para ir é por volta das 13:00 horas em dias úteis. A maioria das pessoas costuma ir no início da manhã para evitar as filas e acaba sendo o horário em que mais se tem que esperar.

A outra opção para evitar as filas é reservar nossa visita guiada pelo Vaticano em português. Dessa forma você verá o mais importante, aprenderá muito e irá economizar tempo de espera.

Horário

De segunda a sábado, das 9:00 às 18:00 horas (último acesso às 16:00).
Último domingo do mês das 9:00 às 14:00 horas (último acesso às 12:30), nos outros domingos do mês está fechado.
Fechado 1 e 6 de janeiro, 11 de fevereiro, 19 de março, 12 e 13 de abril, 1 e 21 de maio, 11 e 19 de junho, 15 de agosto, 8, 25 e 26 de dezembro.

Preço

Adultos: 16€.
Crianças de 6 a 18 anos e estudantes de 19 a 26 anos: 8€.
O último domingo de cada mês é gratuito.

Transporte

Metrô: Cipro-Musei Vaticani, linha A (laranja).

Lugares próximos

O Vaticano (405 m)
Capela Sistina (432 m)
Basílica de São Pedro (521 m)
Praça de São Pedro (584 m)
Castelo de Sant'Angelo (1.1 km)