Seguro-saúde para viajar à Itália

Os planos de assistência durante a viagem são a melhor forma de evitar que incidentes imprevisíveis como perda de malas, doenças, cancelamento de voos imprevisíveis estraguem as suas férias.

A seguir, indicamos as diferentes opções de seguros e coberturas médicas que você deve levar em conta para viajar à Itália do seu país de procedência. 

Brasileiros

Para entrar na Itália, os brasileiros devem obrigatoriamente ter um seguro-saúde e de repatriamento no valor mínimo de 30 mil euros que cubra o território Schengen (França, Alemanha, Grécia, Espanha, Itália, Áustria, Portugal, Finlândia, Suécia, Noruega, Bélgica, Holanda, Dinamarca, Islândia e Luxemburgo).

Europeus

Os cidadãos europeus podem solicitar de forma gratuita o Cartão Europeu de Seguro de Doença, que garante os mesmos direitos que os residentes do país na hora usar a saúde pública (não tem por que ser gratuita). Se você for português, poderá solicitá-lo pela internet ou presencialmente em um dos serviços de atendimento da Segurança Social, nas lojas do cidadão ou nos serviços do subsistema de saúde.

Mas tanto no caso dos brasileiros como dos portugueses, é importante contratar um seguro de viagem que cubra, por exemplo, a perda de bagagem ou dos voos. Esses seguros costumam ser surpreendentemente econômicos. Também é recomendável contratar um seguro de cancelamento que, além do voo, cubra os serviços adicionais no destino.

E os seguros dos cartões?

Ao utilizar um cartão de crédito para comprar uma passagem de avião, é comum que tenha automaticamente um seguro de viagem, embora as coberturas costumem ser muito básicas e, em caso de acidente ou doença, mal cobrem os gastos.

Outros cidadãos da América Latina

Segundo a normativa atual, os viajantes da maioria dos países americanos precisam contratar um seguro-saúde para viajar para a Europa. Caso precise de um visto para entrar na Itália, você terá que contratar o seguro-saúde para a obtenção do visto.

Nesse caso, é necessário que o seguro conte com uma cobertura médica de pelo menos 30.000 euros e inclua traslado e repatriação. Caso a viagem seja de vários meses, é recomendável contratar um seguro mais completo que conte com uma cobertura maior.

Seguro Schengen

Para uma estância inferior a 90 dias com o visto Schengen e seu seguro de viagens, é permitido viajar sem problemas aos seguintes países:

Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia e Suíça.

Além dos anteriores, o seguro geralmente também cobre o Reino Unido, Irlanda, Romênia, Bulgária e Chipre, embora nesses casos as coberturas diminuam.

Contrate o seu seguro de viagem

Se depois de comprovar que você não tem nenhum seguro-saúde que cubra sua viagem, você decidir contratar um, Assegure sua Viagem oferece as melhores coberturas ao melhor preço. Além do preço, tem a vantagem de que você pode contratar online de maneira muito fácil.